COVID-19: Disponíveis testes rápidos dentro de duas semanas

Graça Freitas, Diretora-Geral da Saúde, anunciou esta segunda-feira que a partir do dia 9 de novembro vão começar a ser realizados testes rápidos à COVID-19. Esta informação foi publicada numa Norma com a Estratégia Nacional de Testes para a SARS-CoV-2.

Por Juliana Santos

Na conferência de imprensa de atualização dos dados da COVID-19, Graça Freitas esclarece que a utilização dos testes rápidos permite a redução e o controlo da transmissão do vírus e também a prevenção e mitigação do impacto da doença nas pessoas mais frágeis, no sistema de saúde e nos seus serviços.

Os testes devem ser utilizados nas pessoas que tenham sintomas nos primeiros cinco dias, nas que não apresentem qualquer tipo de sintomas e em casos concretos como os surtos. A Diretora-Geral da Saúde acrescenta que os testes também podem ser usados nos rastreios periódicos dos profissionais de saúde com um maior risco de exposição.

A norma publicada determina ainda que em situações de surto em escolas, lares e outras instituições os testes rápidos devem ser usados preferencialmente para aplicar de forma mais rápida as medidas apropriadas de saúde pública.

Graça Freitas sublinha que a realização do teste molecular não é dispensável numa pessoa com uma forte suspeita de COVID-19 mesmo tendo feito um teste rápido. A especialista declara ainda que os testes rápidos são seguros, sobretudo nos casos positivos e nos primeiros cinco dias de sintomas.

As equipas de Saúde Pública são as responsáveis pela realização dos testes em conjunto com os parceiros municipais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *