Executivo municipal de Viseu apresenta saldo positivo de 850 mil euros

Saldo consolidado é quase de um milhão de euros. Passivo do grupo municipal reduz em 5,6 milhões de euros face a 2018

O Executivo Municipal aprovou ontem, quinta-feira, dia 9 de julho, a consolidação de contas relativas ao exercício económico de 2019, com todas as empresas e entidades do universo municipal a apresentarem resultados positivos, com um saldo consolidado superior a 855 mil euros.

“Em 2019, Viseu volta a provar ser de boas contas. Os resultados alcançados demonstram uma situação financeira e económica sólida e sustentável, que nos permite continuar a investir nas áreas fundamentais à qualidade de vida do concelho, mas também responder de forma pronta aos desafios suscitados pela atual pandemia”, salienta o presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Almeida Henriques.

O balanço realizado permite verificar que, face a 2018, os depósitos em instituições financeiras e caixa cresceram em 4,6%, ao atingirem os 29,3 milhões de euros (mais 1,3 milhões de euros).

No que ao passivo diz respeito, 2019 continua a traduzir um decréscimo significativo, com uma redução de 4,3% face ao ano transato, num montante de 5,6 milhões de euros.

Ainda nesta reunião, o Executivo deliberou aprovar o envio do parecer prévio à Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), relativo ao projeto de criação do sistema intermunicipal de captação, tratamento e fornecimento de água em “alta” para os Municípios de Viseu, Mangualde, Nelas, Sátão e Penalva do Castelo, a ser gerido pela empresa Águas da Região de Viseu.

Recorde-se que este é um processo longo e exaustivo, depois de uma tentativa anterior a oito municípios frustrada, iniciado em março de 2018, que resulta da união de esforços e vontades destes cinco municípios em implementar uma solução estruturante, eficiente e definitiva para fazer face ao problema da escassez de água na região, nomeadamente na época de verão, na qual se tem registado períodos de seca severa, assim como da incapacidade de armazenamento de água, no inverno, resultado de infraestruturas deficitárias, como é o caso da Barragem de Fagilde.

A criação da empresa plurimunicipal Águas da Região de Viseu representará assim um passo muito importante para garantir a sustentabilidade dos recursos hídricos e o abastecimento de água às populações deste cinco municípios, aumentando a resiliência e criando a redundância com a conduta de Balsemão.

Por último, foi também aprovada a alteração do Regulamento da Estrutura Nuclear e mapa de pessoal dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento/Águas de Viseu, tendo em conta a sua adaptação à nova realidade do início de procedimento de constituição da empresa plurimunicipal Águas da Região de Viseu, mas também considerando a crescente necessidade de recursos humanos especializados por parte dos serviços, atendendo à diversidade de competências e projetos atualmente sob a sua gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *