Criticaram o Wuant. Viram o vídeo?

Criticaram um youtuber português que tem mais de 3 milhões de subscritores, mas pararam 10 minutos para verem o vídeo dele? O vídeo em questão é “o meu canal vai ser apagado” e tem quase 2 milhões de visualizações.

Se analisarem o vídeo com uma mente aberta para escutar a opinião do próprio podem concordar ou não com ele, mas não podem discordar dos factos que ele apresenta, nomeadamente o email que expõe no vídeo do Youtube. Nós conseguimos ver o email na íntegra, o que demonstra a verdade no seu conteúdo. Se disserem que é mentira após o verem, não estarão a chamar o Wuant de mentiroso mas sim o Youtube.

Não sei quanto a vocês, mas eu sou uma consumidora assídua do Youtube e tenho quase a certeza que maior parte de vocês que estão a ler isto também o são. Estamos no século XXI, a que muitos chamam a Era digital. E eu pergunto: e se ficarmos sem metade das plataformas digitais que usamos hoje diariamente praticamente a toda a hora, continuaremos na Era digital?

Não fugindo mais ao assunto, convido-vos a analisar melhor o vídeo para tentarem perceber melhor o problema. O Wuant começa logo o vídeo com a frase “o meu canal vai ser apagado e não vai ser o único”. Sim, é uma frase alarmante para os seus subscritores e não só, mas como é que ele conseguiria chamar a atenção de tanta gente se não aumentasse a curiosidade dos espectadores?

Pouco depois do vídeo começar o Wuant diz o seguinte: “Muita gente diz ser o fim da Internet e eu concordo”. Esta foi a frase em que muitas pessoas pegaram, lançando a confusão nas redes sociais, com títulos como “Youtuber diz que é o fim da internet”, sem sequer se preocuparam em saber porque é que ele diz isto.

Wuant apresenta um email que o próprio Youtube lhe mandou, onde se pode ver o medo que têm do artigo 13. O email começa da seguinte forma “Imagina uma internet na qual os seus vídeos já não podem ser vistos, imagine uma internet sem os seus criadores favoritos, imagine uma internet na qual novos artistas nunca são descobertos”. Se imaginarmos isto é fácil prever o que acontece ao Youtube. Eles dizem que não são contra o artigo 13, mas falam das consequências não intencionais que o artigo tem. Tudo tem consequências, até mesmo as leis que são feitas para nos proteger. Nada é perfeito e é isso que falta analisar, são as consequências do artigo 13. O Youtube diz “O artigo 13 ameaça impedir milhões de pessoas na Europa de carregar conteúdos em plataformas como o Youtube. Os visitantes europeus perderiam acesso a milhares de milhões de vídeos de todo o mundo” .

Isto é o email do Youtube, que termina pedindo ao Wuant para falar nisto e foi o que ele fez. Se a plataforma pede ao criador de conteúdo para falar no assunto não acham que deve ser importante?

Para o Wuant o assunto já não se resolve com as dezenas de petições que estão a ser feitas, mas sim através de uma revolução para ganhar os nossos direitos na internet. No meio do vídeo ele diz que o próprio criador da Internet é contra o artigo 13. E eu digo se o criador da internet é contra nós vamos apenas ficar sentados e ver onde isto vai dar e decidir atuar quando for tarde demais?

Se o artigo 13 defende o direito dos autores, pensem no Google imagens. Já pensaram que todas as imagens têm um autor? E acham mesmo que a Google iria comprar todas as imagens, que devem ser milhares e milhares, só para serem usadas na Europa? Pensem um pouco, investiguem e tirem as vossas próprias conclusões.

No vídeo do Wuant, na parte final, ele apresenta um vídeo oficial do Youtube que fala neste caso. Eles dizem “Plataformas como Youtube, facebook, instagram, soundcloud, Dailymotion, Reddit e snapchat responsáveis, no momento do carregamento por qualquer violação de direitos de autor nos carregamentos de utilizadores, criadores e artistas. Seriam forçadas a bloquear a maioria dos complexos dada a incerteza e a complexidade da propriedade dos direitos de autor. Poderão não ter opção senão bloquear os seus vídeos existentes e impedir que carregue vídeos novos na união Europeia.” São os próprios criadores do Youtube que dizem isto, e o vídeo está disponível, ainda. Por isso vejam-no e percebam realmente o que pode acontecer, porque se o criador do Youtube diz que vai bloquear quem é que o pode impedir a ele e aos criadores das outras plataformas digitais?

 

Texto: Ana Filipa Pimenta

Inagem: Wuant

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *