Visita pascal ainda é uma realidade em Airães

Airães, freguesia do concelho de Felgueiras, mantém viva a tradição pascal. A comemoração católica aconteceu no primeiro domingo de abril e culminou com a celebração da missa no final do dia.

O toque do sino da igreja Santa Maria de Airães, um monumento nacional integrado na rota do românico, assinala a partida das quatro cruzes rumo à casa de todos os habitantes da paróquia que as queiram receber.

Assim, um grupo de paroquianos, desde miúdos a graúdos, vai de porta em porta levar o senhor para festejar a ressurreição de Jesus Cristo. Após a bênção inicial, cada habitante beija a cruz de Cristo como demonstração de adoração. Posteriormente, são oferecidos alimentos ao grupo de paroquianos, para além de um donativo à paróquia.

Este é um dos grandes momentos para a comunidade cristã da freguesia, de acordo com Maria Amélia. “Esperamos por isto (a visita pascal) um ano inteiro. É sem dúvida o melhor dia do ano na freguesia”, afirma a habitante da freguesia do concelho de Felgueiras.

Maria Amélia, tal como Manuel Pinto, seu marido, são presenças assíduas na igreja Santa Maria de Airães, “a casa do senhor”, mas ter a oportunidade de receber o senhor em casa em ainda mais gratificante. “Todas as semanas vou à igreja. Gosto muito de lá ir, porque sinto-me lá bem. Mas, ter a oportunidade de receber o senhor em casa é diferente. É único, é sem dúvida o melhor dia do ano”, insiste a septuagenária.

Durante o dia, o sol brilhou intensamente, contrastando com o temporal que tem assolado, não só a freguesia, mas todo o país, nos tempos mais recentes. Manuel Pinto aponta a razão. “Quem viu os dias anteriores e quem vê hoje. O dia está lindo. Deus, nosso senhor, deu mais uma prova que está a olhar sempre por nós. Só ele para conseguir um feito destes”, afirma.

A continuidade da tradição pascal na freguesia de Airães é algo natural, tendo em conta as ligações da freguesia à religião católica. Para além da igreja Santa Maria de Airães, a paróquia possui ainda a capela de Santo Amaro, a capela Senhor do Horto, o burgo de Santo Amaro, o cruzeiro e cruzeiro de Santo Amaro.

 

Texto e imagem: João Carvalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *