Venda da TVI nas mãos da Concorrência

Dois anos depois de adquirir a PT, a holandesa Altice anunciou que tinha chegado a acordo com a espanhola Prisa para a compra da Media Capital, dona da TVI, na qual investiu 440 milhões de euros.

Depois de analisar a compra da Media Capital pela dona da PT/MEO, os serviços jurídicos da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) não se mostraram muito confiantes com a operação e, portanto, recusaram-na. Apesar do presidente da ERC, Carlos Magno, ter votado a favor, a decisão não foi unânime, e acabou por ser remetida para a Autoridade da Concorrência (AdC). “Como se exigia uma unanimidade na decisão, infelizmente não pudemos fazer com que a conclusão refletisse esse sentido negativo”, confirmou o vice-presidente do conselho regulador da ERC, Alberto Arons de Carvalho, ao Público.

Agora, cabe à Autoridade da Concorrência avaliar as condições e as restrições da compra. Em declaração, a Altice não deixa de sublinhar a importância da transação: “o enquadramento regulatório português e europeu é bastante claro e este caso deverá ser analisado apenas com base nos factos e no mérito”.

No entanto, as empresas de telecomunicações rivais mostram-se mais preocupadas, na medida em que temem a disputa da concorrência.

A empresa de telecomunicações Altice mostrou-se confiante na decisão da AdC e já garantiu que quer criar postos de trabalho no país, afirmando que a compra da TVI irá contribuir para a expansão de Portugal. “A AdC é quem melhor se posiciona para analisar esta transação na sua totalidade e determinar se, e que, condições serão necessárias”, sublinhou.

 

Texto: Dália Magalhães

Imagem: Wikipedia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *